Rádio-Iberoáfrica-Logo-Oficial-500x500px

FUNIBER e UNIC promovem Segunda Conferência Internacional em Angola sobre a Iberofonia na Universidade Agostinho Neto

Conferencia-Alvaro-Durantez-UAN-Luanda-Capa-Rádio-Iberoáfrica
Conferência Internacional, Dr. Álvaro Durántez, Iberofonia, UAN, Luanda, Foto Capa, Rádio Iberoáfrica

A Universidade Internacional do Cuanza (UNIC) e a Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) em colaboração com a Universidade Agostinho Neto (UAN), organizaram a segunda Conferência Internacional em Angola no dia 17 de Fevereiro pelas 10 horas no Auditório Amélia Mingas da Faculdade de Humanidades da UAN em Luanda depois da primeira edição em Junho de 2022, na UNIC sob o tema, O Espaço Multinacional dos Países de Línguas Portuguesa e Espanhola. A Iberofonia, que foi ministrada pelo renomado académico, Dr. Frigdiano Álvaro Durántez Prados, Director de Relações Institucionais da FUNIBER e da Cátedra FUNIBER de Estudos Iberoamericanos e da Iberofonia, que esteve acompanhado pelo Reitor da UNIC, Dr. Carlos Jélvez Martínez.

A conferência contou com a participação de académicos, investigadores, diplomatas acreditados em Angola, com destaque para o Embaixador da República da Argentina em Angola, Alejandro Verdier, o Embaixador de Cuba em Angola, Oscar León González, o Secretário da Embaixada de Espanha em Angola, Daniel Heredero em representação do Embaixador Manuel Lejarreta, a Sra. Fátima Moniz do Ministério das Relações Exteriores da República de Angola, o Presidente da Câmera de Comércio Angola – Sérvia, Massunga Henriques, a escritora angolana Kanguimbo Ananás e o Coordenador Geral do Projecto Kulturalmente Yetu, Hergino de Paiva. Destaca-se ainda a presença dos docentes da UAN, Reitores das distintas Instituições de Ensino Superior (IES) de Luanda, bem como a comunidade estudantil afeta à Faculdade de Humanidades da UAN e a presença da imprensa.

O evento começou com a entoação do Hino da República de Angola, seguido da observação de um minuto de silêncio, em memória do primeiro Presidente de Angola, Dr. António Agostinho Neto. Na sequência, foi apresentado o presidium, constituído pelo Pró-Reitor da UAN, Professor Doutor Sabino do Nascimento, que ao fazer uso da palavra, endereçou as boas-vindas aos presentes, manifestando a sua enorme satisfação em albergar e co-organizar a conferência, destacando como sendo uma ponte que se constrói no domínio da cooperação institucional entre a UNIC e a FUNIBER, bem como na “promoção de estudos e da comunicação científica ligadas à Iberofonia entre os académicos e pesquisadores da UAN e académicos de Angola de modo geral”, e no final da conferência em entrevista para a Rádio Iberoáfrica, o Professor Doutor Sabino afirmou que “as afinidades culturais e linguísticas entre o espanhol e o português estão a constituir um novo bloco linguístico” e salientou que “este espaço pode catapultar a estratégia dos estados e facilitar as relações entre os estados e as instituições de toda a Iberofonia”.

O Professor Doutor Feliciano Moreira Bastos, Decano da Faculdade de Humanidades da UAN, manifestou o seu regozijo por ser o anfitrião da segunda conferência em Angola sobre a Iberofonia, sendo que, segundo o próprio, esta é uma abordagem que tem vindo a seguir com grande interesse nos últimos anos. O Decano Moreira Bastos, em sua entrevista à imprensa, assegurou, “a ideia da Iberofonia, é uma ideia que no meu entender, enquanto Decano da Faculdade de Humanidades nós vamos apoiar e desenvolver”, pois, “trata-se de um tema actual e atuante que não tem somente relevância para a academia, mas também para Angola”, já que se trata da relação dialética existente entre lusofonia e hispanofonia. Na entrevista que o Professor Doutor Moreira Bastos prestou para a imprensa, avançou, “temos a ideia da criação de uma Cátedra de Estudos sobre a Iberofonia, e nós vamos desenvolver com todo o nosso amor e saber”, frisou o Decano.

O Reitor da UNIC, Carlos Jélvez por sua vez manifestou-se congratulado com o caloroso acolhimento da direcção, docentes e estudantes da UAN, destacando a importância dos diplomatas, políticos e a imprensa num evento de carácter internacional, e assegurou que a sua instituição continuará aberta na cooperação institucional objectivando uma maior articulação e intercâmbio entre as IES de Angola. Carlos Jélvez destacou que a UNIC é uma instituição de ensino que está sediada na província do Bié, cidade do Cuito, desenvolvida pela FUNIBER e a Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO), ambas do Reino da Espanha, sendo a FUNIBER, uma instituição internacional do ramo da educação, cultura que está presente em mais de 30 países de todos os continentes sendo a principal plataforma educativa de vocação pan-ibérica ou da iberofonia. Segundo o Reitor da UNIC, “contamos actualmente com cerca de 4 mil estudantes, 17 cursos e três Faculdades, nos três anos de funcionamento a UNIC já figura entre as três melhores de Angola, no ranking das universidades”. O Dr. Carlos Jélvez avançou em entrevista, “temos um programa de ensino interessante no âmbito da Iberofonia, considerando que os nossos alunos de todas as licenciaturas estudam o português e o espanhol e podem obter a dupla titulação angolana-espanhola concluindo os seus estudos na nossa universidade irmã, a UNEATLANTICO em Santander, Espanha”.

O Dr. Durántez falou da importância de Angola na articulação do espaço multinacional dos países de língua espanhola e portuguesa de todos os continentes, e do papel que a República de Angola pode desempenhar neste processo. Lembrando que a conferência tomava lugar justamente um ano depois da primeira visita de estado dos Reis de Espanha à Republica de Angola.

Ao definir a Iberofonia, Álvaro Durántez destacou; “a lógica e o potencial derivados da afinidade substantiva entre as duas principais línguas ibéricas, o espanhol e o português – as únicas grandes línguas internacionais que são, em linhas gerais, mutuamente compreensíveis –, juntamente com profundos e numerosos elementos de natureza cultural, histórica, geopolítica e cooperativa, estão na base do Espaço Multinacional dos Países de Línguas Portuguesa e Espanhola – conhecido como Espaço Pan-Ibérico ou da Iberofonia –, que corresponde, em grande medida, à soma da Comunidade Ibero-Americana de Nações (CIN) e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Trata-se de um grupo multinacional que, em 2022 – ano do V Centenário da Primeira Corrida de Volta ao Mundo e do início da primeira globalização – reúne mais de 860 milhões de pessoas e cerca de trinta países de todos os continentes, constitui o principal bloco geolinguístico do mundo e representa um quinto da superfície do planeta, bem como o décimo em termos demográficos.

Ao falar para o auditório, o professor Durántez demonstrou que nos últimos anos, foram dados passos concretos e verificáveis no processo de articulação da Iberofonia, o que contribuirá para dar maior visibilidade e influência internacional aos países iberófonos, para promover a cooperação horizontal e triangular entre Estados das Américas, da Europa, da África e da Ásia – e com projecção também na Oceania –, favorecendo assim o bem-estar de todas as suas sociedades, e para equilibrar em termos geoculturais – e em benefício da maior diversidade cultural e linguística de toda a Comunidade Internacional – alguns aspectos e visões de mundo homogeneizantes da globalização em curso.

O professor Álvaro Durántez, de nacionalidade espanhola é cientista político, e é pioneiro nos estudos do que há décadas chamou de “pan-iberismo”, ao qual associa-se o vocábulo “iberofonia”, referiu-se ao momento histórico em que se encontra este processo de articulação multinacional após ter verificado nos últimos anos uma série de marcos institucionais que, embora em parte despercebidos, destacam, na sua opinião, a aproximação que vem ocorrendo entre todos os países iberofalantes, bem como a visível convergência entre o espaço Ibero-Americano e aquele formado pelos estados da expressão oficial portuguesa.

O facto de esta actividade académica decorrer na primeira Universidade de Angola, é especialmente relevante, pois evidencia o valor da dimensão cultural e geopolítica de África numa tendência que envolve nações de todos os continentes. No final da conferência o Dr. Durántez comissionou as palavras do Embaixador de Espanha em Angola, Manuel Lejarreta, que endereçou as suas palavras de apreço aos presentes, manifestando a pertinência do tema num contexto especial na relação entre os países da Iberofonia, em particular a relação entre Angola e Espanha.

A UNIC participa precisamente da Cátedra liderada pelo Dr. Durántez, que inclui outras quatro universidades da América e Europa que participam da rede universitária da FUNIBER. A conferência contou com um momento cultural, tendo sido cantada uma canção bilíngue, espanhol e Umbundo pelos artistas do Projecto Kulturalemente Yetu, intitulado Hino da Ibero-África, contou ainda com a participação das autoridades locais e regionais de alto escalão de Angola e de vários meios de comunicação social, com destaque para a Rádio Iberoáfrica.

Não é possível copiar o conteúdo desta página

Scroll to Top