Rádio-Iberoáfrica-Logo-Oficial-500x500px

Rádio Iberoáfrica Celebra o Dia de África com realização de eventos culturais

Dia de África 2024 Rádio Iberoáfrica
Dia de África 2024 Rádio Iberoáfrica

No dia 25 de Maio de 1963, os Líderes dos Estados Africanos descolonizados, reunidos em Addis Abeba – Etiópia, criaram a Organização de Unidade Africana (OUA); esta por sua vez, teve como objectivo principal a unidade africana em prol da descolonização do resto do continente, bem como na resolução de conflitos regionais subsequentes. Foi no dia 25 de Maio de 1972 que a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu a data como o Dia de África, inicialmente nomeado Dia da Libertação de África. Em 2002 os Líderes Africanos membros da OUA substituem o nome por União Africana (UA). E para assinalar esta data tão importante para África e para o mundo, a Rádio Iberoáfrica realiza uma série de eventos culturais para os africanos e todos os afrodescendentes no mundo inteiro.

Para assinalar a efeméride, a Rádio Iberoáfrica realiza diferentes eventos culturais em distintos pontos da cidade de Luanda, como o Iº Festival África Sabores, Cores e Cultura, o tão aclamado programa de televisão Iberófono e Afrodescendente Yetu Song desenvolvido pela Rede Kulturalmente Yetu (KY) em pareceria com a Gudesom e tem como rosto o prestigiado apresentador e artista Bern Chissende. E para a materialização destas actividades a Rádio Iberoáfrica e o Kulturalmente Yetu juntaram-se a parceiros estratégicos como o Shopping Popular – Camama, Gudesom, STA ANGOLA, Audiometragem e renomados artistas africanos.

Feira Ibero-Africana de Artesanato:

O principal artesão da Feira Ibero-Africana de Artesanato, João Kalomo é artesão há mais de 20 anos, e destaca a importância do artesanato na preservação da história e da cultura africana, defendendo que “é importante que tanto as gerações presentes como as gerações porvindouras conheçam a nossa história e a nossa identidade, por isso, o artesanato é uma forma de expressão artística que dá esse realce.” E quando questionado sobre a sua principal motivação, o artesão africano Kalomo argumentou, “a cultura não deve morrer, recebemos dos nossos antepassados esta riqueza e queremos passá-la às futuras gerações para que a nossa história permaneça viva”.

Kalomo retrata nas suas obras o imbondeiro, como símbolo da resistência, a resiliência e o amor da mãe africana, bem como figuras místicas de África e outras obras que espelham a história e a cultura Ibero-Africana.

Artesão angolano João Kalomo Feira Ibero-Africana de Artesanato

Gastronomia:

No festival foram apresentados os principais pratos típicos africanos. Foram igualmente expostos projectos com propostas inovadoras no ramo da culinária, como a introdução de pratos, sabores e ritmos que combinam a gastronomia africana com sabores de países ibero-americanos.

Ibero-África Iº Festival Gastronomia
Ibero-África Iº Festival de Gastronomia

Música ao Vivo:

Para o encerramento do Festival foi estreado o Yetu Song, um programa Kulturalmente Yetu, sob o comando do apresentador Bern Chissende. Yetu Song tem apoio à realização da Gudesom, é um programa inovador desenvolvido para o fomento e articulação cultural de artistas, produtores, pesquisadores e todos os profissionais e agentes da indústria cultural do espaço multinacional e intercontinental da Iberofonia e Afrodescendente. O programa divulgou músicas ao vivo em línguas africanas, obras inéditas dos cantores Paytto Yamale, com o tema “Mama África” e Abraão Pharya, que apresentou a canção “Ulamba”.

Da esquerda para a direita: Bern Chissende - apresentador Yetu Song by Gudesom, Dra. Débora Buza - prof. de canto do Instituto Médio de Artes (CEART), Paytto Yamale - prof. de canto e harmonização - KY
Da esquerda para a direita: Bern Chissende – apresentador Yetu Song by Gudesom, Dra. Débora Buza – prof. de canto do Instituto Médio de Artes (CEART), Paytto Yamale – prof. de canto e harmonização – KY
(Esquerda), Abraão Pharya - prof. de música, compositor e produtor KY; (Direita), Jotta Kimunga - músico, compositor e produtor KY
(Esquerda), Abraão Pharya – prof. de música, compositor e produtor KY; (Direita), Jotta Kimuanga – músico, compositor e produtor KY
Artur Guerra - Ancião que apresentou o canto e o provérbio africano em Umbundo (Reino do Bailundo)
Artur Guerra – Ancião que apresentou o canto e o provérbio africano em Umbundo (Reino do Bailundo)
Elias Ngola - Ancião do canto e do provérbio africano em kimbundo (Reino do Ndongo)
Elias Ngola – Ancião do canto e do provérbio africano em kimbundo (Reino do Ndongo)
Concerto de música ao vivo no Palácio de Ferro em Luanda
Concerto de música ao vivo no Palácio de Ferro em Luanda

O 25 de Maio é uma ocasião especial para reflectir sobre as conquistas e desafios do continente africano. Neste sentido, é importante destacar a Agenda 2063 da União Africana (UA), um roteiro estratégico criado para impulsionar o desenvolvimento socioeconómico e a integração de África ao longo de um período de 50 anos, 2013-2063.

Com a realização destes eventos, a Rádio Iberoáfrica evidencia a relevância da efeméride e promove a cultura da paz e do entendimento, através da valorização da identidade cultural africana, como factor de unidade dos africanos sem exclusão dos afrodescendentes.

Segundo a Directora da Revista Iberoáfrica, Solange Chissende, “um dia como este deve necessariamente remeter-nos à uma celebração que englobe todos os filhos de África, os afrodescendentes espalhados pelo mundo, e com palavras de irmandade lembramos desde Angola as suas raízes com saudações calorosas e fraternas”.

Com a celebração do Dia de África, a Rádio Iberoáfrica apoia os esforços para o desenvolvimento sustentável, para que todos os africanos tenham a oportunidade de atingir o seu pleno potencial, contribuindo assim para “A África que queremos”.

A Rádio Iberoáfrica deseja a todos os africanos um feliz Dia de África, na certeza que todos nós somos parte de um todo.

Não é possível copiar o conteúdo desta página

Scroll to Top